A fórmula da sua saúde
GUIA DE SAÚDE

Carlos Eduardo C. de Toledo

Cardiologista

Glibenclamida

Glibenclamida Antidiabético oral
Nome comum Glibenclamida ou Gliburide
Denominação científica N1-*4-**-(2-methoxy-5-chlorobenzoylamino)ethyl*benzene- sulfoyl*-N2-cyclohexylurea
Aspecto Pó cristalino branco
Solubilidade

Praticamente insolúvel em água; ligeiramente solúvel em cloreto de metileno; pouco solúvel em álcool e metanol e praticamente insolúvel em éter.

Dissolve em soluções diluídas de hidróxidos alcalinos.

DL-50 (Oral) maior que 20g/Kg em ratos e camundongos
Atividade

A Glibenclamida atua sobre as células beta do pâncreas, estimulando a produção de insulina.
Glibenclamida é indicada no tratamento oral do diabetes mellitus não insulino-dependente quando os níveis de glicose não podem ser adequadamente controlados por meio de dieta alimentar, exercícios físicos e redução de peso.

Tem ligeira atividade diurética.

Concentração usual

Em adultos a dose inicial é de 2,5mg/dia, chegando até 5mg/dia. Entretanto, 1,25mg/dia pode ser adequada em pacientes mais responsivos. Deve ser tomado junto com a primeira refeição substancial.

NOTA: Respeitar o fator de diluição especificado no laudo.

Reações adversas Dor de cabeça, tontura, náusea, constipação ou diarréia, anorexia, visão borrada, urticaria, rash cutâneo, hipoglicemia, leucopenia, anemia hemolítica, dentre outros.
Observações A eficiência de qualquer hipoglicemiante oral pode decrescer com o tempo. A dose oral deve ser individualizada.
Armazenamento

Manter distante da luz, calor e umidade.