A fórmula da sua saúde
GUIA DE SAÚDE

Mario Vicente Alves Júnior

Neurologista

Boswellin

Boswellin Anti-artrítico e antireumático natural
Nome comum Boswellin
Denominação científica Boswellia serrata
Solubilidade Solúvel em álcool, clorofórmio e acetona; insolúvel em água
Parte usada Tronco da árvore
Atividade

O maior uso da Boswellia serrata na medicina contemporânea é como agente anti-artrítico e antiinflamatório natural. A resina dessa planta é constituída por óleo essencial, terpenóides e goma. Descobriu-se que é na resina gomosa que se encontra ação para tratar o reumatismo, doenças respiratórias e desordens hepáticas.

Boswellin é um produto resultante do extrato gomoso da Boswellia serrata. Ele é padronizado em relação aos ácidos boswélicos multifuncionais contidos na planta.

Boswellin produz excelentes resultados no tratamento de inflamações e condições artríticas. Acredita-se que isso se deva à presença do ácido beta-boswélico e outros ácidos triterpênicos relacionados. Boswellin tem sido indicado no reumatismo artrítico, na osteoartrite, na artrite reumatóide juvenil, miosite e fibrosite. É aplicado para tratar reumatismo de tecidos moles, dores leves das costas, gota e espondilite anquilosante.

A ação terapêutica dos ácidos boswélicos pode estar na exclusiva inibição da enzima lipoxigenase-5, que previne a formação de leucotrienos inflamatórios. A porção resinosa contida no Boswellin também possui significativa ação analgésica, acompanhada de marcado efeito sedativo. Em ratos, estes resultados foram comparados à força da Morfina. É possível que o mecanismo de analgesia do Boswellin resulte da sedação sobre o SNC.

Experimentos mostraram ainda que o extrato da Boswellia serrata tem ação anti-aterosclerótica, anti-hiperlipidêmica, anti-hepatotóxica e anti-ulcerosa.

Boswellin também possui ação analgésica quando aplicado topicamente. Ele pode ser aplicado em cremes e loções para se obter analgesia a partir dos ácidos boswélicos. Também em veterinária, Boswellia promove melhora em condições inflamatórias crônicas de cavalos.
A exclusiva forma de ação do Boswellin evita os efeitos colaterais freqüentes dos antiinflamatórios não esteroidais e esteroidais. Por isso é Boswellin é um forte candidato na terapia natural de desordens inflamatórias.

Concentração usual: A dose é de 200mg/3 vezes ao dia, durante 4 semanas. Topicamente, a concentração é citada em termos de ácidos boswélicos. Aplicar creme a 5% quantas vezes forem necessárias, durante 2 semanas.

NOTA: Não é necessário fazer conversão do Boswellin para uso oral. A concentração para uso tópico é referente aos ácidos boswélicos. Neste caso, deve-se fazer conversão. Respeitar o fator de diluição especificado no laudo.

Reações adversas Estudos realizados em diversos animais de laboratório não demonstraram ocorrência de efeitos colaterais para concentrações 5 a 10 vezes maiores que a dose efetiva.
Observação: Boswellia é aprovada pelo FDA e pelo Conselho Europeu para uso alimentício. Sua DL50 dérmica e oral é maior que 5mg/Kg em ratos.
Armazenamento Manter distante da luz, umidade e calor.