A fórmula da sua saúde
GUIA DE SAÚDE

Paulo Ricardo Soares

Clínico(a) Geral

Estrógenos Conjugados

Estrógenos Conjugados

Nome comum Conjugated Estrogens
Denominação científica Pó amorfo branco ou pardo claro
Especificações pH (10% em suspensão aquosa)= 9,12; Teor (estrógenos conjugados)= 37,5 mg/g;
Composição= 50 - 63% sulfato sódico de estrona, 22,5 - 32,5% sulfato sódico de equilina, 17-alfa-diidroequilina, 17-alfa-estradiol, 17- alfa-diidroequilenina e equilenina
Solubilidade Solúvel em água
Propriedades/Aplicações

Os ESTRÓGENOS CONJUGADOS são constituídos de uma mistura de estrogênios obtidos de fonte natural (urina de éguas prenhas). Apresentam as ações e usos dos estrógenos em geral e efeitos farmacológicos similares àqueles dos estrógenos endógenos, importantes ao desenvolvimento e manutenção do sistema reprodutor feminino e caracteres sexuais secundários. São bem absorvidos pelo trato gastrointestinal, nos tecidos-alvo (órgãos genitais femininos, mamas, hipotálamo, hipófise), os estrógenos penetram na célula e são transportados para dentro do núcleo. Como resultado da ação estrogênica, ocorre a síntese de RNA e proteínas específicas. A nível sistêmico, os ESTRÔGENOS CONJUGADOS são indicados na terapia de reposição estrogênica associada ao climatério e na prevenção, tratamento de distúrbios a ele associados, como a osteoporose, vaginites e uretrites, doenças cardiovasculares arteroscleróticas (aumentando as taxas de HDL e reduzindo as de LDL) e no hipogonadismo (castração ou insuficiência ovariana primária). A nível tópico, a utilização dos ESTRÔGENOS CONJUGADOS se faz associada à excelente penetração na pele e à atuação a nível de estímulo da formação de fibras colágenas e do metabolismo cutâneo, além de uma atuação positiva sobre o controle da secreção sebácea.

A administração pode ser contínua ou cíclica (3 semanas com e 1 semana sem medicação). Aconselha-se a administração da menor dose que controle os sintomas e o uso concomitante de progestogênios, o que reduz o risco de hiperplasia endometrial e carcinoma emdometrial, em geral associados ao uso prolongado de estrógenos isolad

Dosagem Usual/Faixa de Concentração As dosagens empregadas variam de acordo com a gravidade dos sintomas e a resposta do paciente. Em geral, nos sintomas da menopausa e pós-menopausa, empregam-se entre 0,3 a 1,25 mg/dia; no hipogonadismo feminino e tratamento paliativo do carcinoma prostático, até 7,5 mg/dia. A nível tópico, cremes vaginais com 0,0625% de estrógenos conjugados (até 4 g por aplicação diária) são empregados nos tratamentos de distúrbios locais. Deve ser feita a conversão para a devida utilização, observando o teor indicado no rótulo de cada lote.
Observações As reações adversas mais frequentes são aquelas relacionadas a seus efeitos estrogênicos gerais e metabólicos sistêmicos. Pode haver retenção de nitrogênio e ganho de peso, enfraquecimento pulmonar, alterações na função hepática, icterícia, depressão, dores de cabeça e vertigens, naúseas e vômitos. Reações cutâneas incluindo cloasma, urticária e irritações na pele são relatadas. Os riscos de aumentada incidência de hiperplasia endometrial e consequente carcinoma não estão bem estabelecidos. O uso não deve ser recomendado durante a gravidez e nem a mulheres com menos de 40 anos.